O quinto domingo da Quaresma recorda-nos o grande sinal da ressuscitação de Lázaro, que aponta já para o anúncio pascal da Ressurreição de Jesus. A palavra-chave é a afirmação de Jesus: «Eu sou a ressurreição e a vida». Esta é a raiz da nossa fé e da nossa esperança, que nós celebramos todos os domingos, porque o domingo é sempre o dia do Senhor Ressuscitado, o dia da celebração da nossa Páscoa semanal.

Todos aqui renascemos”.Todos aqui renascemos, nas águas da fonte batismal. A Quaresma reconduz-nos a essa nascente de vida, para deixar Cristo escavar no nosso coração uma fonte de água viva, que jorra para a vida eterna.Estamos a celebrar o 3.º Domingo da Quaresma. Depois da primeira semana, com o apelo a Renunciar ao pecado e da segunda semana com o desafio a deixarmo-nos Revestir de Cristo, a palavra de ordem desta 3.ª semana da Quaresma é «Renovar». Pelo Batismo, Deus faz de todos nós novas criaturas. Pela água do Batismo, Deus realiza algo de novo (cf. Is 43,19). Na verdade, “se alguém está em Cristo, é uma nova criatura. As coisas antigas passaram; tudo foi renovado” (2 Cor 5,17). Por isso, cantemos o dom desta vida nova, que nos é dada e iniciada no nosso Batismo.

Todos aqui renascemos! Depois da primeira palavra de ordem «Renunciar», que ressoava do Monte das Tentações, a palavra-chave deste 2.º domingo é “Revestir” e ecoa desde o Monte da Transfiguração. Na luz pascal da Transfiguração, Jesus revestido de vestes brancas, reconduz-nos ao rito batismal da imposição da veste branca. Para todos os batizados e para os que hão de sê-lo ainda, este é o domingo, para saborearmos a beleza e a dignidade de sermos filhos de Deus! Mergulhados nas águas do Batismo, depusemos as vestes do homem velho e fomos para sempre revestidos de Cristo, o Homem novo, para vivermos uma vida nova.

Todos aqui renascemos”. Este é o nosso desejo, o nosso propósito, o nosso lema, para esta Quaresma, iniciada na passada quarta-feira, com a imposição das cinzas, e que nos conduzirá à celebração da Páscoa do Senhor. “Todos aqui renascemos”. Este desejo de «renascer», de regenerar, de renovar, de reconciliar, de reconduzir toda a nossa vida à luz da fé, aplica-se a esta Quaresma, que começamos já a viver. Na verdade, a Quaresma “é um tempo favorável para nos prepararmos, a fim de celebrar, de coração renovado, o grande mistério da morte e ressurreição de Jesus, pedra angular da vida cristã pessoal e comunitária” (Papa Francisco, Mensagem para a Quaresma 2020, n.º 1). Este é, pois, um tempo que nos é dado para nascer e “renascer uma e outra vez” (Ibidem; cf. Christus vivit, n.º 123). A Quaresma que nos é dada viver este ano é, sobretudo, um tempo favorável para preparar ou descobrir a beleza do acontecimento fundamental do nosso Batismo, pelo qual renascemos, morrendo e ressuscitando com Cristo, para uma vida nova.

 

Todos aqui renascemos”. A ideia de «renascer», de regenerar, de renovar, de reconciliar, de reconduzir toda a vida à luz da fé, aplica-se bem à Quaresma, “que é um tempo propício para nos prepararmos a fim de celebrar, de coração renovado, o grande mistério da morte e ressurreição de Jesus, pedra angular da vida cristã pessoal e comunitária” (Papa Francisco, Mensagem para a Quaresma 2020, n.º 1). Este é um tempo para nascer e “renascer uma e outra vez” (Ibidem; cf. Christus vivit, n.º 123), seja pela celebração dos sacramentos da iniciação cristã, seja pela renovação das promessas batismais, seja pela celebração da Reconciliação. Hoje a Liturgia desafia-nos com o mesmo prefixo “re”, nas palavras do apóstolo Paulo: “reconciliai-vos com Deus” (2 Cor 5,20).

Pág. 9 de 63
Top

A Paróquia Senhora da Hora utiliza cookies para lhe garantir a melhor experiência enquanto utilizador. Ao continuar a navegar no site, concorda com a utilização destes cookies. Para saber mais sobre os cookies que usamos e como apagá-los, veja a nossa Política de Privacidade Política de Cookies.

  Eu aceito o uso de cookies deste website.
EU Cookie Directive plugin by www.channeldigital.co.uk