Liturgia e Homilia na Vigília Pascal 2017
Destaque

Esta é a noite do ano! A noite de todos os acontecimentos, a noite das grandes intervenções de Deus, na nossa história. Estamos em vigília, em expectação noturna, para dar início à celebração do terceiro dia do Tríduo Pascal, o dia da Ressurreição. Na mais solene das vigílias, vamos proclamar a Ressurreição de Jesus, o acontecimento por excelência das grandes maravilhas de Deus operadas em nosso favor, o triunfo da misericórdia de Deus.

Homilia na Vigília Pascal 2017

A caminho, com Maria, pelas fontes da alegria!

1.Somos um povo a caminho! Um povo de peregrinos! Acendemos, na noite de todas as travessias, o círio pascal, para que a Luz de Cristo ressuscitado ilumine o nosso caminho de esperança! Nesta luz, e na penumbra do templo, escutamos, na longa liturgia da Palavra, os sete marcos de um longo caminho: o caminho do Povo de Deus, na história: história do amor de Deus, que tudo cria e recria, que tudo forma e transforma. É mesmo assim. É o longo caminho do povo em busca de Deus, mas é também o caminho paciente de Deus, que sai ao nosso encontro, para viver connosco em aliança.Entre avanços e recuos, o Povo de Deus, prosseguiu o caminho, levando consigo em gérmen a esperança da vitória prometida, bebendo, aqui e ali, nas fontes da alegria.

 

2.E o Senhor não faltou ao Seu povo, com a abundância destas fontes: a Sua imensa e luminosa bondade, na obra da Criação (Leitura I); a promessa generosa de uma descendência a Abraão e a resposta exemplar da sua fé, provada até ao sacrifício de Isaac (Leitura II), a memorável passagem vitoriosa do mar Vermelho e a libertação da escravidão do Egito (Leitura III), a misericórdia divina sempre afirmada pelos profetas, perante a reiterada infidelidade do Povo à aliança (Leitura IV). Eis um povo, que, na sua sede, pôde gratuitamente, renovar-se e saciar-se nas fontes da alegria: a água viva da Palavra de Deus, o vinho novo da comunhão com o Senhor, servidos à volta da mesa, onde não faltam o leite e o mel, que mimam os filhos regressados a casa (Leitura V). E também a sabedoria, expressa nos mandamentos da vida (Leitura VI), são dom a guiar o povo no caminho e a alimentar a esperança de um novo tempo, uma nova aliança, uma nova criação, um coração novo e um espírito novo (Leitura VII). Na aurora dos novos tempos, estas fontes da alegria brotam do coração da Igreja Mãe. De Maria, a Igreja aprende também a ser esta Mãe fecunda, que gera vida nova e esperança, nas águas do Batismo, que embeleza os seus filhos com a unção perfumada do Crisma, e alimenta-os na Palavra, no Pão e no Vinho novo de cada Eucaristia.

 

3.É neste longo caminho, que entendemos melhor o caminho das mulheres, na manhã de Páscoa. No coração daquelas mulheres e dos discípulos sente-se já um tremor de terra… pressente-se um abalo do Céu; há neles um ritmo alternado entre o temor e o desconcerto! E eis que do alto, chegam palavras, que os beijam, e lhes dão a senha, para que se deixem surpreender e maravilhar: «Não está aqui, ressuscitou, como tinha dito» (Mt 28,6). A ressurreição de Jesus constitui, pois, a transformação fundamental, a mutação decisiva, que liberta das amarras da carne, do tempo, do espaço e da morte! E isto não é obra nossa, nem do acaso. “Tudo isto veio do Senhor e é admirável aos nossos olhos” (Sl 117,23).

4.Irmãos e irmãs: três são os caminhos percorridos esta noite: o do povo eleito, que começou com o nosso pai Abraão; dentro dele, o caminho das mulheres que, como Abraão, vão em busca do que não sabem. E agora o teu caminho. O teu caminho aposta na esperança? O teu caminho vai na direção do encontro com Jesus Ressuscitado? Ou prefere a paralisia, o medo, o fechamento, perante novos horizontes de esperança? Por que caminho anda esta noite o teu coração? Recomeça, então, sem hesitação. Retrocede e dá o primeiro passo, prossegue em direção à Galileia, volta ao lugar do primeiro chamamento, onde tiveram início os sinais miraculosos, ali, à periferia onde tudo começou! Faz como as mulheres: impelidas pelo amor, não podem conter a alegria de que Jesus está vivo, não podem conter a torrente e a corrente que brota desta fonte de esperança! E, transformadas pela Ressurreição, anunciam por toda a parte que a Vida triunfou!

5.Anúncio”: eis a palavra que colocamos junto do altar, a sétima «ânfora», a ânfora verdadeira, donde dimanam todas as fontes da alegria. Esta é, na verdade, a noite do anúncio: gritemo-lo com toda a nossa existência: Jesus Cristo, nossa esperança, ressuscitou!

Nesta noite - cremos nós - Maria já gozava da presença do seu Filho. Ao seu cuidado materno confiamos agora o nosso desejo de caminhar juntos e em frente. Vamos a caminho, em direção ao mundo, para onde o Ressuscitado nos envia, e onde Ele já está, à nossa espera. Basta simplesmente ser desvelado, descoberto, proposto, anunciado (cf. EG 71).

Continuemos, pois, irmãos e irmãs, “a caminho, com Maria, pelas fontes da alegria”. Ela está a dizer-nos, nesta Páscoa, o segredo que traz desde a transformação indiciada e sinalizada nas bodas de Caná:

 

Ide a todo o mundo onde gente houver

e fazei tudo o que Ele vos disser”!

Top
Usamos cookies para garantir uma melhor navegação no site. Ao continuar a utilizar este site, está a dar o seu consentimento. Mais detalhes…