Projetos - Conselho Económico

 

Conselho Económico: a alegria do jubileu

“A paróquia não é uma estrutura caduca; precisamente porque possui uma grande plasticidade, pode assumir formas muito diferentes que requerem a docilidade e a criatividade missionária do Pastor e da comunidade. Embora não seja certamente a única instituição evangelizadora, se for capaz de se reformar e adaptar constantemente, continuará a ser «a própria Igreja que vive no meio das casas dos seus filhos e das suas filhas». Isto supõe que esteja realmente em contacto com as famílias e com a vida do povo, e não se torne uma estrutura complicada, separada das pessoas, nem um grupo de eleitos que olham para si mesmos. A paróquia é presença eclesial no território, âmbito para a escuta da Palavra, o crescimento da vida cristã, o diálogo, o anúncio, a caridade generosa, a adoração e a celebração. Através de todas as suas atividades, a paróquia incentiva e forma os seus membros para serem agentes da evangelização. É comunidade de comunidades, santuário onde os sedentos vão beber para continuarem a caminhar, e centro de constante envio missionário. Temos, porém, de reconhecer que o apelo à revisão e renovação das paróquias ainda não deu suficientemente fruto, tornando-se ainda mais próximas das pessoas, sendo âmbitos de viva comunhão e participação e orientando-se completamente para a missão (Papa Francisco, EG n.º 28)

 

O Conselho Económico é um órgão consultivo de colaboração com o pároco na administração da paróquia.

 

I. Informações importantes

 

1. A ocupante da antiga residência paroquial, e antiga sacristã, Maria José Pontes Moreira, entregou as chaves da Igreja Antiga e da Senhora da Penha, suspendendo assim a sua colaboração, na guarda destas Igrejas, e nomeadamente no grupo Porta Aberta. Depois de uma reunião presidida pelo Diácono Espinha com os membros do grupo Porta Aberta, que abrem a Igreja Antiga, em dias de semana, foi explicado o uso da chave e do respetivo código de alarme. O Sr. Francisco, terá, no Bar, a chave, sem código de alarme, que entregará aos membros do grupo Porta Aberta para não obrigar estes a deslocações ao centro paroquial. A Dona Laura Mouta fica responsável pelo cuidado da Capela.

2. O direito de superfície do terreno, previsto para a construção do Lar, concedido pela Câmara Municipal de Matosinhos à IPSS “Centro Social e Paroquial da Senhora da Hora” foi retirado pela Câmara Municipal, na sequência da desistência da construção do Lar, e atribuído, nas mesmas condições, à Fábrica da Igreja Paroquial da Freguesia da Senhora da Hora, com a finalidade de construção da Sede de Escuteiros, no prazo de cinco anos, a contar da data da celebração da Escritura. No passado dia 15 de julho, teve lugar a Escritura, e fez-se posterior registo desta cedência do direito de superfície, do referido prédio urbano, composto por parcela de terreno, com a área de 1824 m2, sito na Avenida Senhora da Hora, descrito na Conservatória do Registo Predial de Matosinhos, sob o número 3063, inscrito na Matriz sob o artigo 7986, da União de Freguesias de São Mamede de Infesta e Senhora da Hora. Esta Escritura teve a prévia autorização da Cúria Diocesana.

3. Uma vez que a referida IPSS já não é detentora do direito de superfície e uma vez que não exerce qualquer valência social, e tendo em conta que não foi feita deliberadamente a revisão dos Estatutos até à data legalmente prevista, de 15 novembro de 2015, este Conselho entende que a atual direção da IPSS deverá fazer uma diligência junto do Chanceler da Cúria Diocesana, para oficializar a dissolução da IPSS “Centro Paroquial e Social da Senhora da Hora”. É sabido quanto a manutenção da IPSS obriga a muito trabalho burocrático e a ter técnico de contas, que só não é pago porque o faz por amizade. Acresce que o projeto que foi elaborado para o Lar está desatualizado, pois a legislação mudou, e por isso não tem valor comercial. Assim, manter a IPSS ativa não se justifica, já que tão cedo não se poderá fazer nada. E, se um dia vier a ser necessário, pode constituir-se nova IPSS. 

4. Foi já apresentada à Comissão de Infraestruturas, da Diocese do Porto, no passado dia 15 de setembro, o projeto da Sede do Agrupamento 521 e aprovado por esta, no passado dia 11 de outubro. O projeto, com estimativa orçamental na ordem dos 275 mil euros não onera a Paróquia, em caso algum, como está definido. Tem financiamento garantido de 150 mil euros, por parte da Câmara Municipal de Matosinhos.

5.  A “Bicas da Senhora da Hora, Associação Cultural” (BSHAC) procedeu a uma revisão dos seus Estatutos e à eleição de nova Direção, em Assembleia Geral, do passado dia 3 de junho. Da alteração de Estatutos, ressalta-se o facto de que a Direção da mesma deixa de pertencer, por inerência do cargo, ao pároco, autonomizando-se assim a Direção e a Associação, em relação à Paróquia, com a qual celebra um protocolo de parceria cultural e um contrato de arrendamento das instalações, com início em janeiro de 2017. A referida Associação suportará naturalmente todas as despesas de funcionamento, pelo que a Paróquia deverá rever as instalações atuais, no que diz respeito à separação de contas de fornecimento de água e luz. O texto do protocolo de parceria cultural foi aprovado na referida assembleia geral e deverá ser assinado proximamente, para garantir a continuidade do projeto educativo daquela Associação e assegurar os laços entre esta e a Paróquia, respeitando assim as intenções dos fundadores. O contrato de arrendamento deverá ser assinado brevemente, depois de considerada e avaliada a proposta, em sede de Conselho Económico. Estas decisões da BSHAC tiveram em linha de conta desonerar a Paróquia de custos de funcionamento da Escola, aliás com situação financeira deficitária, e porque a atividade exercida não justificava suficientemente o investimento da Paróquia, nem garantia a prossecução de fins pastorais.

6. Aguarda-se, da parte da Câmara Municipal de Matosinhos, a proposta de intervenção no Parque das Sete Bicas, para verificar se esta implica alguma alteração no imóvel do Bar, para, assim se proceder ou não à revisão do contrato de arrendamento do Bar, que será renovável em 1 de outubro de 2018, obrigando, segundo o Artigo 1097, do Código Civil e Novo Regimento de Arrendamento Urbano, a parte denunciante do contrato a pronunciar-se com 120 diasde antecedência. Pelo que, para já, não se deverão mudar as condições de arrendamento.

7.  Este Conselho propõe-se criar uma Comissão de Honra, para a celebração do centenário da Paróquia e sugeriu que esta fosse empossada durante a Visita Pastoral do Sr. Dom Pio Alves à comunidade, entre 25 de março e 2 de abril de 2017. Esta Comissão, na opinião dos presentes, devia incluir algumas figuras, tais como o Presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, o Presidente da União de Freguesias de São Mamede de Infesta e Senhora da Hora, o Diretor da Porto Business School, o Diretor da Loja Modelo Continente, o Frei Ventura, o Diretor do Porto Canal, o historiador Joel Cleto, o Presidente do Conselho de Administração do Hospital Pedro Hispano e o Sr. Guilherme Vilaverde.

8.      Apesar de não ter havido formalmente, reunião do Conselho Económico, nos últimos meses, é de registar que este se tem reunido informalmente e, fê-lo, por três vezes, a 7 de junho, a 9 de agosto e a 5 de setembro, contando a presença da Dra. Alda Rodrigues e da Arquiteta Joana Araújo, da empresa Lantana, no sentido de analisar algumas ideias e propostas, e em ordem a definir melhor o projeto de conservação e requalificação da Igreja Paroquial. Na última reunião esteve também presente o Sr. Pe. Francisco Andrade, membro da referida Comissão Diocesana de Infraestruturas, para nos ajudar a precisar, com mais acerto o tipo de intervenção.

9. Será pedido à empresa Lantana a apresentação de levantamento arquitetónico e topográfico da Igreja, bem como um Estudo prévio, com estima orçamental. A Paróquia comprometer-se-á a adjudicar à Lantana o desenvolvimento futuro do projeto, nos termos apresentados na sua proposta orçamental de 16.10.2016 (3.735,50 € para o levantamento topográfico e arquitetónico e 7.921,18 € para os trabalhos de elaboração do projeto prévio e base).

 

Os sete projetos materiais de futuro

 

1.        Apoio à criação de uma sede condigna para os escuteiros, no Parque das Sete Bicas;

2.       Climatização e pintura da Igreja Paroquial, com novos revestimentos e tratamento do betão e de juntas de dilatação;

3.       A recolocação do batistério e das imagens no interior da Igreja, bem como o aproveitamento do espaço atual do batistério, para confessionário e atendimento;

4.      As obras de manutenção e de reparação na residência paroquial, cuja caixilharia e revestimentos exteriores estão degradados, originando infiltrações no interior da mesma;

5.       A requalificação do Parque das Sete Bicas, no seguimento da nova praça que lhe está ser construída, entre a Igreja antiga e a nova.

E se pudéssemos sonhar um pouco mais:

6.      A dotação para a Igreja, depois das obras, de um órgão de tubos;

7.       E, como cereja no topo do bolo, a colocação das esculturas na fachada principal da Igreja.

 

III. Programa

 

§  Criação de uma Comissão para o centenário da Paróquia;

§  Estudo de uma candidatura de intervenções na Igreja ao programa Portugal 2020;

§  Extinção da IPSS “Centro Social e Paroquial da Senhora da Hora”;

§  Colaboração com a CSVP e Mar Solidário no acompanhamento dos mais pobres;

§  Participar na iniciativa “24 horas para o Senhor”, dia 25 de março, das 5h00 às 6h00;

§  Participar na oração do Rosário, domingo, 21 de maio, às 18h00;

§  Participar nos encontros vicariais a 12 de dezembro e 6 de fevereiro, às 21h30;

§  Apoiar realização de almoços ou jantares-convívio, através da Equipa de Eventos;

a)      domingo, 20 de novembro de 2016 – Almoço de outono – 12,50 €

b)      quinta, 8 de dezembro de 2016 – Ceia de Nª. Srª. do Ó – 8,00 € (Trazer sobremesa) -  mudar data

c)      sábado, 4 de fevereiro de 2017 – Noite da Francesinha – 7,50 €

d)      terça, 28 de fevereiro de 2017 – Almoço da Carnaval – 10,00 € ?!

e)      sábado, 11 de março de 2017 – Noite da Francesinha – 7,50 €

f)       sábado, 3 de junho de 2017 – Noite da Francesinha – 7,50 €

 

§  Apoiar iniciativas do grupo “A Hora do Teatro”:

 

Sábado, 26 de novembro de 2016 – Café Concerto - Associar Pastoral Familiar

Sábado, 21 de janeiro de 2017 – Grupo de Teatro Crinabel - Trissomia 21 - Associar Movimento Fé e Luz

Sábado, 18 de março de 2017 – Dia do Pai

Sábado, 29 de abril de 2017 – Dança / Música / Teatro

Sábado, 13 de maio de 2017 – Dança / Música / Teatro - Encenação das Aparições

Sábado, 10 de junho de 2017 – Dança / Música / Teatro - Associar Catequese

 

Grupo Porta Aberta: receber com alegria!

 

“A Igreja é chamada a ser sempre a casa aberta do Pai. Um dos sinais concretos desta abertura é ter, por todo o lado, igrejas com as portas abertas. Assim, se alguém quiser seguir uma moção do Espírito e se aproximar à procura de Deus, não esbarrará com a frieza duma porta fechada” (Papa Francisco, EG 47).

 

I. Objetivo:acolher e acompanhar para uma Igreja de portas abertas.

 

II. Distribuição de serviço na Igreja Paroquial

 

Horas

Segunda

Terça

Quarta

Quinta

Sexta

Sábado

10h00

11h00

Adão
e

Maria Dores

Imperatriz

e

Maria do Carmo Antunes

Joaquim Reis,

Maria Santos

Adérito

e

Mª Fernanda

Alexandrina

e

Noémia Ruano

Horácio Pires

11h00

 12h00

Laura Mouta

14h00

16h00

 

Rui Aparício

 

Alcino Silva

e

Fátima Silva

Luísa Peneda

e

Zélia

Alexandrina

e

Laura Mouta

Zélia

e

Maria Dores Ramalho

Ensaios

dos Coros

 

Missas

16h30 / 19h00

16h00

18h00

(exceto inverno)

Carlos Barbosa

Rui Aparício

 

 

Nota:Aos domingos, abrir a partir das 17h00, com proposta de oração do rosário aos presentes. Membros têm escala elaborada para o efeito.

 

III. Distribuição de serviço na Igreja Antiga (Sete Bicas)

 

2.ª-feira, 15h00-19h00: José Barbosa de Azevedo

3.ª-feira, 15hoo-16h30: Jaime Diniz

4.ª-feira, 15h00-16h30: Maria Glória C. Pinto

5.ª-feira, 14h30-17h30: Fátima Simões e Alcino M. Silva (Oração do Rosário: 15h00)

6.ª-feira, 15h00-16h30: Ângela dos Santos Magalhães e Maria Susana Franco

 

 

IV. Outras atividades

 

1. Participarna iniciativa “24 horas para o Senhor”: sábado, 25 de março, das 11h00 às 12h00;

2. Participarna oração comunitária do Rosário, domingo, dia 28 de maio, às 18h00;

3. Participar nos encontros vicariais a 12 de dezembro e 6 de fevereiro, às 21h30;

4. Responder às questões III, V e VI do Instrumento de análise da prática pastoral;

5. Participar na Visita Pastoral, conforme o programa. Encontro com o Sr. Bispo, na segunda-feira, dia 27 de março, às 18h00.

 

Top
Usamos cookies para garantir uma melhor navegação no site. Ao continuar a utilizar este site, está a dar o seu consentimento. Mais detalhes…