Liturgia e Homilias no XXVI Domingo Comum A 2017
Destaque

Continuamos, neste domingo, a escutar o convite a trabalhar na vinha do Senhor. Esta vinha é a Igreja, mas é também o nosso mundo onde somos enviados, para implantar o Reino de Deus. É hoje mesmo que o Pai nos trata como filhos e nos chama e envia, para produzir frutos bons! Nesta Eucaristia, Ele partilha e festeja connosco, “cada pequena vitória, cada passo em frente” (EG 24)nesta missão. 

Homilia no XXVI Domingo do Tempo Comum A 2017

 

1. E o Pai não Se cansa de nos convidar a trabalhar na vinha, que é d’Ele e é nossa, campo aberto de alegria e de liberdade: “Filho, vai hoje trabalhar na vinha” (Mt 21,28). Este Pai, que não é patrão, trata-nos a todos carinhosamente como filhos, com as nossas semelhanças e diferenças, mas nunca como assalariados! Pede-nos que dêmos uma resposta «hoje», pronta e inadiável, sem desculpas. Trata-se, tal como no trabalho na vinha, de um serviço onde predomina a festa e a alegria. É também neste espírito que somos desafiados “a uma nova etapa evangelizadora marcada pela alegria do evangelho” (EG 1), que é uma alegria missionária, traduzida “na doce e reconfortante alegria de evangelizar” (EG 9; EN 80). 

2. Mesmo sabendo que esta vinha não se confina ao interior e ao adro da igreja, permite-me, caríssimo irmão, caríssima irmã, elencar os grupos paroquiais, onde podes servir a comunidade, para que a tua vida cristã se concretize na capacidade de fazer alguma coisa pela edificação do Reino de Deus, na Igreja e no mundo! Falemos então um pouco dos grupos que já temos e precisamos de revitalizar, mas também de grupos que ainda não temos e precisaremos de criar.[1]

3. Mais uma vez, quero fazer notar: aqueles que, por causa da idade e da doença, de compromissos pessoais, familiares ou profissionais, não podem colaborar num serviço concreto na vida paroquial, também esses, na sua própria casa, a cuidar da educação cristã dos filhos e a assistir os mais frágeis, ou a sofrer no seu leito de dor, ou a dar o seu melhor no trabalho de transformação do mundo… são chamados a rezar, a interceder e a oferecer o seu suor ou sofrimento, pela vida da Igreja e pela salvação do mundo. E, deste modo, devem também eles “sentir-se inseridos a pleno título na vida e missão da Igreja”. Na retaguarda da missão estão os que mais sofrem; são eles, aliás, a nossa reserva espiritual, o nosso mais rico património “e não devem envergonhar-se de ser o tesouro precioso da Igreja” (Papa Francisco, Alocução aos doentes, Fátima, 13.05.2017).

4.Que todos e cada um, movidos pelo amor de Deus, se sintam em estado permanente de missão (cf. EG 25), dizendo a si mesmos: “Eu sou uma missão na minha terra” (EG 273), na minha casa, na minha cama, na minha escola, na minha empresa, na minha freguesia, na minha associação, na minha paróquia! Onde houver alegria a partilhar, vida a oferecer e bem a fazer, aí está o trabalho do amor, aí está a vinha do Senhor!

 

5.“Filho, vai hoje para a vinha”! Só há uma resposta boa, a do Filho de Deus: dizer “Sim” e fazer, de facto, a vontade do Pai!

 


[1] Cf. folha dominical, página interior, do lado direito. Aqui podem ser mencionados todos os grupos paroquiais, com a descrição sumária do serviço que prestam, como podem ser destacados apenas alguns grupos, que mais precisam de ser renovados, sem esquecer eventualmente os grupos que seria preciso criar, para responder às necessidades da comunidade e ao desafio da caridade, que este ano pastoral nos é feito, com mais veemência.

 

GRUPOS PAROQUIAIS (A NEGRITO OS GRUPOS A CRIAR)

 

1.         Acólitos (ao serviço do altar)

2.        Apoio à Capelania do Hospital CUF (visita aos doentes)

3.        Apoio e Visita aos Doentes da Paróquia

4.       Associação Festas da Senhora da Hora (organização da respetiva festa)

5.        Canto Coral Vidi Aquam (polifonia e música sacra)

6.       Canto Coral das diversas missas da comunidade (são três grupos)

7.        Catequese de Adultos (para aprofundamento da fé)

8.       Catequese da Infância ou Adolescência (ou apoio logístico à catequese)

9.       Conferência Vicentina (evangelização dos pobres)

10.     Conselho Económico (administração da Paróquia)

11.      Equipa de Apoio ao Bar e Realização de Eventos

12.      Equipa do Batismo (apoio à preparação e celebração)

13.      Equipa Laudato Si’ (cuidado e limpeza das igrejas e jardinsdos adros)

14.      Equipa Paroquial da Pastoral Familiar (promoção da família como Igreja doméstica)

15.      Equipa Paroquial de Vocações (promoção da descoberta vocacional)

16.     Grupo de Jovens (para as novas gerações de cristãos)

17.      Grupo de Oração In Manus Tuas(para dinamizar a oração no velório)

18.     Informática(ajudar na gestão e atualização do site e redes sociais)

19.     Leitores (ministério de proclamação da Palavra de Deus na Liturgia)

20.     Mar Solidário (grupo de apoio aos sem-abrigo)

21.      Ministros Extraordinários da Comunhão (Comunhão aos doentes e idosos)

22.     Movimento Esperança e Vida (apoio a viúvas/os e mulheres sós)

23.     Movimento Fé e Luz (apoio a pessoas com deficiência mental)

24.     Porta Aberta (manter a porta aberta das igrejas, 1 hora ou 2 por semana)

25.     Visita Pascal (anúncio porta a porta no Dia de Páscoa)

26.     Voluntariado Social e Cultural (Cruz Vermelha, Refood, etc.)

27.     Zeladores/as dos Altares

28.     Zeladores/as dos Oratórios e Sagradas Famílias

Top
Usamos cookies para garantir uma melhor navegação no site. Ao continuar a utilizar este site, está a dar o seu consentimento. Mais detalhes…